pt-BR
2022-12-07

Paraty recebe o certificado de Patrimônio Mundial pela Unesco

Paraty recebe o certificado de Patrimônio Mundial pela Unesco

Neste sábado, 12 de novembro, será entregue o certificado de reconhecimento de Paraty e Ilha Grande (RJ) como Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). A candidatura Sítio Misto de Paraty e Ilha Grande: cultura e biodiversidade foi reconhecida em junho de 2019, durante a 43ª reunião do Comitê do Patrimônio Mundial.  

A entrega do certificado acontece com autoridades convidadas na Casa da Cultura de Paraty, às 10h.  O equipamento cultural se localiza na Rua Dona Geralda, 194, Centro Histórico. A cerimônia será transmitida ao vivo pela página da Prefeitura de Paraty no Facebook. Em breve, Angra dos Reis também vai sediar um evento para receber o reconhecimento da Unesco. 

“Vamos celebrar juntos a brasilidade e a diversidade que irriga a nossa cultura ancestral, no mais exuberante cenário natural”, resume o superintendente do Iphan-RJ, Olav Schrader. “Paraty nos dá um valoroso exemplo de como a preservação pode se transformar no principal motor de desenvolvimento econômico e de inclusão social”, complementa. 

O reconhecimento como Patrimônio Mundial é fruto de uma cooperação entre o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), autarquia federal vinculada à Secretaria Especial da Cultura e ao Ministério do Turismo, com uma série de parceiros:  Ministério do Meio Ambiente, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Prefeituras Municipais de Paraty e de Angra dos Reis, Instituto Estadual do Ambiente (Inea) do governo do estado do Rio de Janeiro e do Fórum das Comunidades Tradicionais. 

Patrimônio Cultural e Natural 

O Brasil conta atualmente com 23 bens inscritos na lista do Patrimônio Mundial. Paraty e Ilha Grande: cultura e biodiversidade é o primeiro sítio misto – ou seja, reconhecido pelos atributos culturais e naturais. A área total do bem é de 148.831 hectares, envolvendo partes do território de oito municípios dos estados de São Paulo e do Rio de Janeiro. A maior porção territorial da área núcleo do Sítio Patrimônio Mundial se encontra em Paraty e Ilha Grande. 

Trata-se do primeiro sítio misto da América Latina com uma cultura viva integrada ao ambiente natural. A maioria dos sítios mistos do continente, como Machu Picchu, no Peru, é de sítios arqueológicos integrados com a paisagem natural.  

O reconhecimento da Unesco cria um compromisso internacional para a preservação do bem. Com cerca de 85% da cobertura vegetal nativa bem conservada, a área do sítio misto forma o segundo maior remanescente florestal do bioma Mata Atlântica. Além da sua extensão, as diferentes fisionomias vegetais permitem a ocorrência de fauna e flora incomparáveis, com diversas espécies raras e nativas. 

Valor universal excepcional 

Segundo os critérios da Convenção do Patrimônio Mundial de 1972, da Unesco, o valor universal excepcional do Sítio está expresso em dois critérios, que expressam a singularidade do bem misto. 

critério cultural se revela por constituir um excelente exemplo de interação humana com o meio ambiente. No caso de Paraty e Ilha Grande, o sistema cultural do território pode ser descrito como uma rede de camadas de bens culturais que inclui: sítios arqueológicos pré-históricos e históricos; assentamentos urbanos; prédios históricos; além de comunidades tradicionais, testemunhos materiais de uma história singular da interação humana com o território ao longo do tempo, com datação da presença humana de mais de quatro mil anos.  

O território abriga duas terras indígenas, dois territórios quilombolas e 28 comunidades caiçaras, que vivem da relação com a natureza, da pesca artesanal e do manejo sustentável de espécies da biodiversidade. Essas comunidades tradicionais mantêm os modos de vida de seus antepassados, preservando a maior parte de suas relações culturais, como ritos, festividades e religiosidade cujos elementos tangíveis e intangíveis contribuem para a caracterização do sistema cultural e da relação de seu modo de vida com o ambiente natural. 

Já o critério natural refere-se aos habitats mais significativos para a conservação da diversidade biológica. O Sítio apresenta um elemento facilitador para a adaptação da biodiversidade às mudanças climáticas: a alta conectividade estrutural e funcional existente entre os ecossistemas e as paisagens. A região apresenta floresta tropical pluvial.  

A biodiversidade também pode ser verificada pela elevada diversidade de anfíbios, répteis, aves e mamíferos, muitos deles exclusivos da Mata Atlântica. Na Baía de Ilha Grande existe ainda uma vasta diversidade de baleias, golfinhos e peixes. O sítio apresenta alto grau de espécies nativas da fauna e da flora: das 36 espécies vegetais consideradas raras, 29 são endêmicas, ou seja, próprias da região. A área abrange cerca de 45% das aves da Mata Atlântica e 34% dos sapos e pererecas do bioma. Há registros de mamíferos raros e predadores, como a onça-pintada e o muriqui, o maior primata das Américas. 

Serviço: 

Entrega do certificado em Paraty  

Data: 12 de novembro de 2022, às 10h 

Local: Rua Dona Geralda, 194 – Centro Histórico de Paraty l Paraty/RJ 

Live: Página da Prefeitura de Paraty no Facebook. 

Mais informações para a imprensa: 
Assessoria de Comunicação Iphan 
comunicacao@iphan.gov.br 
(61) 2024-5516 
www.iphan.gov.br 
www.instagram.com/iphangovbr/ 
www.facebook.com/IphanGovBr | www.twitter.com/IphanGovBr 
www.youtube.com/IphanGovBr 

Texto: IPHAN

Deixe um comentário

Campos com * são obrigatórios. HTML não é permitido

Realização

Prefeitura de Paraty

Patrocínio

Eletronuclear

Parceria

Jet

Desenvolvimento

Opera2