pt-BR
2017-11-22

Sustentabilidade

Sustentabilidade

Natureza em Paraty

Paraty possui 83% de sua área territorial preservada por leis ambientais, o que faz da região um lugar privilegiado, com ótima qualidade e variedade de recursos naturais, como praias, ilhas, rios, cachoeiras, trilhas, entre outros. Protegida pelos morros escarpados da Serra do Mar, a Mata Atlântica permaneceu intacta e ainda hoje é possível encontrar áreas com mata virgem.

Ao todo são 6 Unidades de Conservação ambiental, somando mais de 600 km² – o equivalente a dois terços do território de Paraty. Algumas são de propriedade do Governo, como os Parques e Reservas Ecológicas, com visitação controlada para fins turísticos, e em alguns casos limitada apenas para fins educativos ou de pesquisa. As APA são de propriedades particulares, e permitem construções e fluxo maior de turistas. As Unidades de Conservação de Paraty são:

Parque Nacional Da Serra Da Bocaina

Constituído numa grande área da Serra do Mar com 110.000 hectares (com mais de 40% desta área pertencendo a Paraty), abrangendo os municípios de Angra dos Reis, São José do Barreiro e Paraty, até a divisa com Ubatuba, junto ao Parque Estadual da Serra do Mar. Criado pelo Decreto Federal 68.172/71 e alterado pelo Decreto 70.694/72, pertence ao Governo Federal, e é proibido construir ou desmatar.

Reserva Ecológica Da Juatinga

Uma reserva de 10.000 hectares abrangendo toda a Ponta Negra, Ponta da Juatinga e Saco do Mamanguá, dentro da APA do Cairuçu. Neste local ainda é possível encontrar o único trecho de mata primária em Paraty, com árvores enormes e grande quantidade de Palmito Jussara. Também reserva algumas das mais belas praias de Paraty, como a Antigos, Antiguinhos, Sono, Martins de Sá, Ponta Negra, Calhaus e Grande da Cajaíba.

Área De Proteção Ambiental Do Cairuçu

Esta APA é formada por propriedades privadas que vai do rio Mateus Nunes, ao norte, e termina ao sul em Trindade, na divisa com o estado de São Paulo. Abrange a Reserva Ecológica da Juatinga, as reservas indígenas de Araponga e Paraty-Mirim, e o Parque Ecológico de Paraty-Mirim, além de 63 ilhas ao mar. Foi constituída pelo Decreto Federal 89.242/83, a fim de racionalizar a ocupação do solo, protegendo a natureza e preservando a cultura local.

Parque Estadual De Paraty-Mirim

Situada dentro da APA do Cairuçu, a antiga Área de Lazer de Paraty-Mirim foi transformada em Parque Ecológico para evitar o intenso fluxo turístico, evitando impactos maiores no ecossistema. Neste parque você encontra a praia, o rio e a Reserva Indígena de Paraty-Mirim, além da Igreja de Nossa Senhora da Conceição e ruínas de construções coloniais, ambos tombados pelo IPHAN.

Área De Proteção Ambiental Da Baía De Paraty

Foi instituída por uma lei municipal, com objetivo de proteger a baía de Paraty da pesca predatória, principalmente do arrastão (técnica de pesca em que 2 barcos arrastam uma grande rede), regulamentando os locais e épocas permitidas para esse tipo de pesca. Este é o local onde os barcos ficam atracados, incluindo as embarcações turísticas.

Estação Ecológica De Tamoios

Localizada entre os municípios de Paraty e Angra dos Reis, numa área total de 9.361 hectares, esta Unidade de Conservação foi criada em 1990 pelo Decreto Federal 98.864, como contrapartida da construção das Usinas Nucleares de Angra 1, 2 e 3. Seu uso é restrito apenas para realização de pesquisas e monitoramento dos ambientes marinhos, sendo proibido pescar, mergulhar, desembarcar, construir ou fundear. A área inclui 29 ilhas.

 

Turismo de Base Comunitária

Cidade guardiã da pegada civilizatória no Brasil, Paraty tem preservada em seu território a cultura patrimonial, humana e ecológica do descobrimento. Em nosso território, o visitante tem a oportunidade de experimentar a emoção vivida pelos primeiros viajantes: caminhar pela Mata Atlântica; conhecer as construções da época da Colônia; visitar aldeias indígenas, quilombos e comunidades caiçaras, que com sua sabedoria, costumes e sustentabilidade ainda habitam a região; e saborear as maravilhas da gastronomia local. Tudo com consciência, segurança e conforto.

Ao investir em Turismo Sustentável de Base Comunitária, Paraty procura compartilhar de forma protetiva a riqueza que possui, valorizando a permanência do paratyense nativo das culturas tradicionais em seu território e o seu modo de viver.

Permeando todo o território encontramos diferentes etnias que traduzem em seu viver as raízes matrizes culturais do povo brasileiro. Desde o litoral para interior do município, entre árvores centenárias, manguezais, cachoeiras e rios, encontramos grupos remanescentes de quilombo, indígenas guarani, caiçaras e comunidades de agricultura familiar, prontos a receber visitantes com projetos culturais e educativos.

 

Passaporte Verde

A Campanha Passaporte Verde faz parte de uma iniciativa global coordenada pelo PNUMA – Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, intitulada Plataforma Global para o Turismo Sustentável. Foi implantado em 2010 em parceria com os Ministérios do Turismo e do Meio Ambiente, e lançado oficialmente em 2012 no evento Rio+20. A cidade de Paraty foi escolhida como destino piloto da Campanha Global, onde foram implantadas ações de divulgação da Campanha e realizados projetos para estruturação do destino, como:

  • Apoio a construção da Agenda 21 Local
  • Programa de Educação Ambiental nas escolas
  • Fortalecimento do ecoturismo de base comunitária
  • Capacitação em Gestão Sustentável e Qualificação Profissional em Meios de Hospedagem e Produtores Artesanais

Esta Campanha gera oportunidade de colocar em prática uma Agenda Social, Ambiental e Turística, criando condições para transformar o destino e estimular o consumo consciente no Turismo. Consequentemente, a ação contribui para a preservação do meio ambiente e para a melhoria da qualidade de vida das pessoas que habitam o destino visitado, através da sensibilização e conscientização dos turistas. Em Paraty foram alcançados vários resultados positivos, como:

  • Regulamentação da Lei da Agenda 21 local (lei 1.722/2009)
  • Desenvolvimento de uma cultura gastronômica sustentável
  • Compensação de Carbono, em contrapartida à atividade turística no destino
  • Coleta e reciclagem de óleo de cozinha
  • Estímulo à experiência de Turismo de Base Comunitária na comunidade quilombola do Campinho da Independência.

Esta ação não só tem como objetivo a implantação de infraestrutura turística e básica, como também a qualificação da cadeia produtiva do turismo, desenvolver ações de educação ambiental, e incentivar o turista a ter hábitos de consumo consciente, reduzindo os impactos do Turismo no meio ambiente.

 

Turismo Responsável

O turista ao visitar as áreas naturais em Paraty deverá vir com uma atitude ecológica e responsável com o meio ambiente e suas comunidades. Ao visitar os ecossistemas em seu estado natural e a vida selvagem assim como populações tradicionais a preocupação ambiental e a boa conduta ambiental deve ser uma pratica real. Venham visitar a natureza de forma de vivenciar a natureza e desfrutá-la. E que futuros visitantes continuem encontrando um ambiente limpo e saudável.

Realização

Prefeitura de Paraty

Patrocínio

Eletronuclear

Parceria

Jet

Desenvolvimento

Opera2