pt-BR
2018-11-18

Estações Musicais em Paraty

Estações Musicais em Paraty
Estações Musicais em Paraty
Duas apresentações da Série Feito em Casa esta semana no Estações Musicais: a música instrumental da Orquestra Popular de Paraty sexta na Casa da Cultura, e o quarteto de cordas do Grupo de Música de Câmara sábado no Forte.
11 de maio, sexta | 21h: Casa da Cultura
Serie Feito em Casa
Orquestra Popular de Paraty
A Orquestra Popular nasceu da consciência de que a cidade de Paraty, com seu patrimônio musical riquíssimo, ainda conta com poucos projetos que consigam de fato se projetar fora da região. Ao compartilhar a preocupação com a preservação e a valorização da musica local, três artistas radicados na cidade, o trombonista e arranjador Matias Capovilla, o saxofonista Jerome Charlemagne e o flautista Rogério Custodio, decidiram tirar proveito da presença de músicos de alta qualidade na cidade para formar uma banda que sirva de plataforma de execução e releitura desse maravilhoso patrimônio musical, e oferecer ainda novos e sofisticados arranjos de obras da Musica Popular Brasileira e composições próprias de seus integrantes, inspiradas no cenário e nas vivências paratienses.
Composto por Paratienses de adoção oriundos de varias partes do Brasil e do Mundo, a Orquestra Popular de Paraty consegue tanto oferecer para a população Paratiense uma musica de qualidade quanto projetar musicalmente a cidade fora do município. Assim, em seus dois anos de existência, a Orquestra participou da maior parte dos grandes eventos da cidade: Bourbon Jazz Festival, Flip, Festivais do SESC como o projeto “Poetas da Terra” ou a inauguração da nova sede da entidade em Paraty, o Festival Viva Verão, o Festival da Cachaça, Festival Estações Musicais da Casa da Cultura, o Carnaval de rua, entre outros. Em dezembro de 2017, a Orquestra Popular levou a cultura de Paraty ao 14o Festival Chorando Sem Parar de São Carlos (SP), encerrando o ano com uma apresentação no Réveillon 2018 no largo de Santa Rita.
Orquestra Popular de Paraty
Matias Capovilla: Arranjos e direção musical
Jerome Charlemagne: Saxofones, arranjos e direção musical
Rogério Custodio: Flautas e direção executiva
Edu Moreno – Saxofone Soprano e Flautas, arranjos
Clecio Julio Braga – Trombone
Edson Silva – Bateria
Antonio Barker: piano
Rhandal Oliveira: Baixo
Jonathan Andreolli: Percussão
Veja um vídeo aqui:
12 de maio, sábado | 16h: Forte Defensor Perpétuo
Serie Feito em Casa
Grupo de Música de Câmara da Casa da Cultura: Quarteto de Cordas
Iago Pereira, violino
Libert Fernandez, violino
Elivelton Alves, viola
Alexandre dos Santos, violoncelo
Com a vinda do professor de viola Elivelton Alves tornou-se possível formar na Casa da Cultura de Paraty um quarteto de cordas com os demais professores já em atividade. O quarteto de cordas é uma das principais formações da música de câmara, e conta com um vasto e riquíssimo repertório que vai de Haydn à contemporaneidade – quando passa a incluir também arranjos às vezes inusitados e intrigantes de diferentes músicas populares. Para o concerto deste sábado tendo como cenário a bela paisagem do Forte, o Quarteto de Cordas da Casa da Cultura preparou um programa leve, variado e atraente.
Iago Pereira iniciou seus estudos de violino aos 10 anos no projeto social da cidade de Volta Redonda, logo ingressando na Orquestra de Cordas. De 2008 a 2014 integrou a Orquestra Sinfônica de Barra Mansa, participando de várias turnês em capitais do Brasil e do documentário “Pare, Olhe e Escute”. Em 2012, ingressou na Academia Juvenil da Orquestra Petrobras Sinfônica onde atuou como spalla, e em 2014 fez na mesma instituição uma Residência Artística, atuando como monitor e como musico convidado na Orquestra Petrobras Sinfônica. Desenvolve atividades como professor desde 2010, e cursa atualmente o Bacharelado em Violino na Universidade Federal do Rio de Janeiro na classe do professor Fabio Peixoto, tocando como convidado em concertos da Sinfonietta Carioca, Orquestra Petrobrás Sinfônica e Orquestra Sinfônica Brasileira, contando também com a orientação da violinista Ana de Oliveira.
Libert Fernandez estudou no Uruguai no Conservatório Universitario de Música (EUM), Escuela Municipal de Música de Montevidéu (EMM) e com diferentes professores: Freddy Gerling, Francisco Shlotthauer, Tiago Acosta, Nelson Casale, Artam Craciun, etc. Integrou a OSSODRE (Orquesta Sinfónica del Servicio Oficial de Difusión, Radiotelevisión y Espectáculos), dedicando-se também à música de câmara e às atividades como professor de violino.
Elivelton Alves teve como professores de viola Mariana Salles, Daniel Albuquerque, Diemerson Sena, entre outros, e atualmente estuda com Gabriel Marin. É chefe de naipe das violas e solista da Orquestra Sinfônica de Barra Mansa, e professor de Viola no projeto Música nas Escolas em Barra Mansa. Com a OSBM, participou da Turnê Brasileira do Balé Kirov e da Turnê Brasileira do Teatro Alla Scala de Milão, bem como da Mostra Internacional de Música em Olinda MIMO, como a Orquestra Residente do curso de Regência do Maestro Isaac Karabtchevsky de 2008 a 2013. Atuou como violista em concertos com Milton Nascimento, Roberto Carlos, Ivan Lins, Simone, João Bosco, Fafa de Belém, Elba Ramalho, Leo Gandeman, Turíbio Santos entres outros.
Alexandre dos Santos iniciou seus estudos de música no projeto de música Volta Redonda Cidade da Música aos 8 anos de idade, permanecendo até os dezesseis anos. Em 2006 ingressou no projeto Música nas Escolas de Barra Mansa como instrutor e integrante da Orquestra Sinfônica de Barra Mansa. Participou de 2009 a 2011 da 5ª, 6ª e 7ª edições da Mostra Internacional de Música de Olinda – MIMO, e de 2008 a 2010 do XIII, XIV e XV Rio Cello International Encounter. Em 2012, foi para São Paulo para participar do Instituto Baccarelli, integrando a Sinfônica Heliópolis sob direção do maestro Isaac Karabtchevsky, atuando no ano seguinte como professor assistente das orquestras infantil, infanto-juvenil e juvenil. Em 2014 retornou à Orquestra Sinfônica de Barra Mansa, onde foi chefe do naipe de violoncelos até 2017. Em 2014, participou com Quarteto Novo Tom como residente da III Semana Internacional de Música de Câmara no Rio de Janeiro, e em 2017 produziu o I Festival Barracellos, com o violoncelista maestro Diego Carneiro.

Deixe um comentário

Campos com * são obrigatórios. HTML não é permitido

Realização

Prefeitura de Paraty

Patrocínio

Eletronuclear

Parceria

Jet

Desenvolvimento

Opera2